A Evolução da Copiadora (Laser,…

A Evolução da Copiadora (Laser,…


A Evolução da Copiadora (Laser, Tinta e Off Set)


Não podemos deixar de falar sobre isso, como tudo começou.

Então vamos lá…uma máquina copiadora é muito comum no nosso dia a dia, atualmente. Mas nem todos sabem como funciona e a evolução que ela sofreu ao longo dos anos. A primeira copiadora foi a 914 e foi inventada em 1959 pela Xerox. O princípio básico de física que rege essa engenhoca é a que diz que cargas opostas se atraem.

E como isso ocorre?

A chapa magnética que fica abaixo do vidro em que você coloca o original é carregada com carga positiva. Já o toner, uma tinta em pó formada por partículas de plástico, tem carga negativa. Logo, quando liga a copiadora, a luz ultravioleta perpassa pelo original atravessando as partes brancas, ou seja, as partes que não têm imagens ou textos, enquanto as partes pretas barram a luz. Lembrando que as partes inscritas possuem carga positiva e as partes brancas negativas.

Sabendo disso, a máquina envia as informações para o papel, deixando-o carregado positivamente . Pelas leis da física, o pó plástico com carga negativa migra para o papel, mais especificamente para as partes inscritas com carga positiva.

Mas como a imagem “cola” no papel?

A copiadora possui dois rolos aquecidos por lâmpadas e revestido por teflon, responsável por não deixar o pó grudar no equipamento. Os rolos aquecidos derretem o pó, que se transforma em uma espécie de tinta e é fixada no papel. Sua cópia está pronta!

As cópias coloridas foram surgir somente em 1968, através da impressão por sublimação que substituiu a tecnologia eletrostática utilizada até então. A diferença desse processo é que a máquina possui rolos diferentes para cada cor e quando aquecidos transformam a tinta em vapor, repetindo a forma de colagem “tinta-papel” através da luz, igual indicamos anteriormente.

Mais adiante no ciclo evolutivo, surgiram as copiadoras com tecnologia digital que integram um scanner. A vantagem de poder digitalizar é que você pode modificar a qualidade da imagem, não necessariamente precisa imprimir um trabalho, além da rapidez, visto que a imagem original é escaneada uma vez para depois criar as cópias.

Como funciona uma impressora Digital

Como funciona uma impressora a laser? Entenda a tecnologia…

Impressoras a laser despertam certa curiosidade, já que dispensam tinta para trabalhar. Mas sem isso, como elas conseguem transferir imagens e textos do computador para o papel? Usamos impressoras no nosso dia a dia e muitas vezes não paramos para pensar como esses dispositivos funcionam.

O princípio de funcionamento do modelo a laser é a eletricidade estática. Primeiramente uma carga elétrica positiva é aplicada em toda a extensão do cilindro fotorreceptor, que é rotativo. Ele então começa a girar, enquanto o raio laser descarrega pontos específicos correspondentes à imagem ou texto. Dessa forma, o laser cria um desenho eletrostático no cilindro a partir das informações armazenadas na memória da impressora, transmitidas pelo computador. É a partir daí que o toner entra. Ele consiste em um pó fino, composto de carbono e polímero, que tem carga elétrica positiva. Por causa disso, ele fica depositado nas áreas descarregadas pelo laser, que têm carga negativa, e é repelido pela área restante, de carga positiva.

Nesse momento o papel sai da bandeja, recebe uma carga negativa mais forte que a da imagem eletrostática e passa pelo cilindro. Ao entrar em contato com a peça, o papel atrai o pó e assim fica com a imagem gravada. O tambor cilíndrico é então descarregado para que o papel não fique preso a ele.

Mas a impressão ainda não está concluída. Para que o toner seja fixado ao papel, este precisa passar entre dois outros cilindros, que recebem o nome de fusor. Os rolos são aquecidos, fazendo com que o toner se funda à folha ao passar por eles. O passo final é a folha ir para a bandeja de saída. Neste ponto, o cilindro inicial é totalmente descarregado, ficando pronto para uma próxima impressão.

O procedimento acima descreve o funcionamento das impressoras a laser monocromáticas, que só operam com preto e tons de cinza. No entanto, existem várias impressoras a laser coloridas no mercado. Nesse caso, o método varia de acordo com a fabricante. O que costuma ser usado é impressora com quatro toners, um de cada cores básica (amarelo, ciano, magenta e preto). Também é possível combinar os tons num recipiente único e misturá-los direto no papel.

Laser X jato de tinta – Vantagens

Há vantagens e desvantagens em ter uma impressora a laser, se comparado à jato de tinta. A desvantagem é que o preço de aquisição é maior. O modelo mais barato de uma jato de tinta da HP, por exemplo, atualmente custa R$ 199, enquanto o de uma a laser sai a R$ 530.

 

 

Em compensação, elas são mais econômicas. Enquanto uma impressora de cartucho faz mil páginas ao mês, a laser faz cerca de 5 mil. A velocidade também é maior (em média 18 ppm (páginas por minuto contra 6 ppm da tinteira) e a qualidade de impressão idem.

Impressão Off Set

Uma das formas mais utilizadas para impressão é o sistema offset. Utilizado para impressões de grande e média quantidade, o offset oferece uma boa qualidade e é feito com grande rapidez. Entenda como funciona o processo mais utilizado na indústria gráfica atualmente.

O offset é um dos processos de impressão mais utilizados desde a segunda metade do século XX. Ele garante boa qualidade para médias e grandes tiragens, além de imprimir em praticamente todos os tipos de papéis além de alguns tipos de plástico (especialmente o poliestireno).

A expressão “offset” vêm de “offset litography” (literalmente, litografia fora-do-lugar), fazendo menção à impressão indireta (na litografia, a impressão era direta, com o papel tendo contato direto com a matriz).

A offset é ideal para grandes quantidades de impressos pois o papel corre pela máquina, e não precisa de nenhuma intervenção humana enquanto o processo é feito. Mas não pense que o humano não têm utilidade nessa hora. Pelo contrário, a máquina precisa de vários ajustes durante a impressão, seja na quantidade de tinta e água ou seja na hora em que um impresso for ter mais de uma cor.

Como o offset funciona?

O offset faz uma impressão indireta: ou seja, a imagem não é impressa direta no material (neste artigo, vou usar o papel como exemplo). Isto acontece pois a superfície da chapa onde está a imagem é lisa e teria pouca fricção com o material — o que iria deixar tudo borrado.

Primeiro: pega-se uma chapa metálica que é preparada para se tornar foto-sensível. A área que é protegida da luz acaba atraindo gordura — neste caso, a tinta — enquanto o restante atrai apenas água — que não chega no papel.

Segundo: a chapa é presa em um cilindro. Esse cilindro vai rolar por um outro menor que contem a tinta — que pode ser da cor ciana, magenta, amarela ou preta. A tinta vai “colar” na imagem, enquanto o restante fica em “branco”.

Terceiro: um cilindro com uma blanqueta de borracha rola em cima do primeiro cilindro (com a chapa já pintada). A blanqueta vai absorver melhor a tinta além de proporcionar uma melhor fricção ao papel. Agora, a imagem está impressa na blanqueta.

Quarto: o papel passa entre o cilindro com a blanqueta e um outro cilindro que vai fazer pressão. Assim a imagem é transferida da blanqueta para o papel.

Ou seja, a chapa imprime na blanqueta que imprime no papel.

Na imagem acima você pode notar que existem as quatro cores básicas, que juntas podem formar qualquer cor. Quando uma gráfica não precisa utilizar todas as cores (em impressões monocromáticas, bicromáticas ou tricromáticas) a “torre” onde cada cor fica é removida.

A Print Cópias trabalha com todos estes equipamentos e podemos ver conforme sua necessidade o que melhor se encaixa.

Compartilhe...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Buscar

Leia Também
Curta
Nas Redes




Print Cópias 2018 - Desenvolvimento e Hospedagem eCliente Tecnologia